Cultura afra?

Durante o tempo em que estive ausente se acumularam consultas à seção “Pergunte ao Linguista”. Uma delas é do leitor Jorge Rubens Abdalla, de São Paulo, que pergunta:

Prezado Aldo, tenho ouvido e lido em muitos lugares as expressões “cultura afro”, “línguas afro”, etc. Se afro é um adjetivo terminado em “o” (como negro, africano, etc.), por que não faz concordância de gênero e número com o substantivo que vem junto dele? Obrigado e parabéns pela coluna, sempre muito elucidativa.

Caro Jorge, o elemento “afro”, que encontramos em muitas expressões hoje em dia (cabelo afro, música afro, cultura afro, danças afro, etc.) é na verdade uma redução por economia linguística de palavras compostas como “afro-brasileiro”, “afro-americano”, etc. (portanto, cabelo afro-brasileiro, música afro-brasileira, danças afro-brasileiras, população afro-americana, e assim por diante). Nesse caso, “afro” não era em princípio uma palavra, mas um elemento de composição, ou prefixoide (como bio-, geo-, foto-, fono-, anglo-, franco-, etc.), que, com o tempo, se tornou um adjetivo autônomo. Mesmo assim, por estar subentendido que se trata da redução de um adjetivo mais longo, permanece invariável (o mesmo raciocínio se aplica ao substantivo “foto” por “fotografia”, por exemplo).

Mas você tocou num ponto interessante: “afro” provém do adjetivo latino “afer” (masc.)/“afra” (fem.)/“afrum” (neutro), que quer dizer “africano”, referindo-se especialmente aos povos nômades do norte da África, os chamados “cafres” (os romanos quase não tinham contato com os povos da África subsaariana). Aliás, tudo leva a crer que “afer” tenha relação etimológica com o patronímico “kaffir (cafre). Em resumo, no latim essa palavra tinha flexão de gênero, número e caso. Por sinal, “África” era o território habitado pelos “afri” (plural de “afer”).

O mais curioso é que existe em português o adjetivo “afro”, cujo feminino é “afra” e o plural é “afros/afras”, com o significado de “africano”. Esse adjetivo, há muito registrado nos dicionários, já estava presente em nosso idioma bem antes de o prefixoide destacado de “afro-brasileiro” ganhar autonomia lexical.

O que isso significa? Que expressões como “cultura afra”, “danças afras”, etc., embora soem estranhas e sejam desusadas na atualidade, estão tecnicamente corretas. A diferença é que “cultura afro” pressupõe “cultura afro-brasileira”, isto é, aquela de origem africana mas aclimatada no Brasil, ao passo que “cultura afra” seria a cultura africana pura, tal como se encontra na África. Só que nesses casos, para evitar mal-entendidos, é preferível dizer “cultura africana” mesmo.

3 comentários sobre “Cultura afra?

  1. Bravo, Professor!

    Uma pergunta: será que no português culto europeu também ocorreria tal concordância (cultura afra)? ou só aconteceria no português culto brasileiro?

    Agradeceria!
    Cumprimentos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s